terça-feira, 30 de julho de 2013

No mundo deles, era quase regra desejar sempre mais do que se podia comprar. Não eram eles que tinham decretado isso; era uma lei da civilização, um dado de fato, de que a publicidade em geral, as revistas, a arte das vitrines, o espetáculo da rua, e até, sob certo aspecto, o conjunto das produções comumente chamadas culturais eram as expressões mais adequadas.
— Georges Perec