terça-feira, 30 de julho de 2013

Já perdi muito nesta vida, e não sei se tenho disposição para perder ainda mais. Fico aqui, esperando o que virá, com cara cheia de susto. Olhos arregalados, coração batendo na boca, encantado com a vida, assustado com a morte. 
Fico aqui. Quando posso, vou. Mas, quando não vou, dou um jeito de aprender a ficar. Eu me agarro às esperanças. Elas são muitas. Elas são tantas! Estão por todos os lados., mas costumam estar adormecidas. O segredo é gritar por elas. A esperança tem sono leve.